segunda-feira, 29 de setembro de 2014

"Vem pra rua vem! Em Antonina não nasce mais ninguém"!!!.

Foto fonte: Fala Antonina)
E agora João?
Mesmo com chuva MORADORES de Antonina preocupados com a falência do sistema de saúde do município saíram de suas casas para protestar aos gritos "Vem pra rua vem! Em Antonina não nasce mais ninguém"!!!. Antonina só tem a ganhar com atitudes iguais a essas de iniciativa popular, onde a população pode cobrar do EXECUTIVO e LEGISLATIVO seus direitos. 

Algumas das reivindicações feitas pela população: abertura do Hospital DOUTOR SILVIO BITTENCOURT LINHARES, a volta dos serviços de OBSTETRÍCIA e MATERNIDADE do HOSPITAL de ANTONINA (fonte: Fala Antonina).

Nota oficial
Em nota oficial, publicada após a suspensão dos serviços de obstetrícia e maternidade, o prefeito João Domero reconhece a suspensão dos serviços, por falta de condições sanitárias e de equipe médica.
Interessante que sequer o Conselho Municipal de Saúde foi consultado para a tomada de decisão e tudo ficou na vontade do prefeito. Não há nenhum indicativo de prazo para que os serviços sejam restabelecidos.

Povo na rua
O descaso com o atendimento a saúde da população chegou ao limite, e não é de hoje que reclamações e reivindicações vêm acontecendo.
A troca constante de titular da pasta – secretario da saúde – demonstra o total despreparo administrativo do atual prefeito, que só nomeou pessoas sem as mínimas condições técnicas para a área, como também nunca se fez presente - nem fisicamente - as situações do sistema.

O legislativo
Nosso legislativo, que tem a OBRIGAÇÃO de fiscalizar os serviços e as contas públicas, quase sempre faz corpo mole. “Bate e assopra” quando interessa.
A maioria dos vereadores faz parte da base de apoio ao prefeito, e ainda alguns são exímios praticantes do assistencialismo a doença. Levam e trazem pacientes para hospitais próximos, cultivando a abominável prática clientelista. Assim, não há sistema que sobreviva.

MP
No início da atual gestão João Domero, o Ministério Público recebeu denuncia sobre possíveis desvios nas contas da saúde, foi aberto processo e os envolvidos estão sendo ouvidos.
No recente caso da suspensão dos serviços do SAMU e da falta de cumprimento as despensas com o programa Mais Médicos, o MP estabeleceu prazo para o retorno dos serviços, com multa para os provedores, caso os serviços não fossem restabelecidos.
Agora, novamente o Ministério Púbico deverá ser acionado, para que sejam restabelecidos, no mínimo os serviços de obstetrícia e maternidade em nosso já precário Hospital.
Esta é a “Antonina de Verdade”.

"Vem pra rua vem! Em Antonina não nasce mais ninguém"!!!.





quinta-feira, 25 de setembro de 2014

ANTONINENSE ESPECIE EM EXTINÇÃO.

A partir de ontem, 24 de setembro 2014, os atendimentos em obstetrícia do SUS não serão mais disponibilizados pelo Sistema Municipal de Saúde de Antonina. Decisão tomada pelo prefeito João Domero, por prazo indeterminado.
Com isso, nosso já frágil serviço de pronto atendimento a saúde, deixará ainda mais de atender nossa população, principalmente a faixa mais necessitada. Os pacientes em serviços de parto deverão procurar os hospitais mais próximos, o de Morretes ou Paranaguá para dar a luz – atendimento essencial à vida.
Com esta atitude – que precisa ser muito bem esclarecida – rompe mais uma vez o já precário e diminuto nascimento de pessoas em nossa cidade.

No fundo do poço
Há poucos dias, os serviços de pronto socorro do SAMU foram restabelecidos, suspensos por falta de pagamento por parte da prefeitura, dívida esta desde 2013. As ambulâncias retomaram o atendimento a nossa população, minimizando nossa carência em termo de serviço público a saúde.
Quando nos sinalizam com uma notícia boa, o retorno do SAMU, chega outra muito pior, o fechamento da Maternidade, ou seja, dos serviços de parto em nosso município.

E agora João?
O prefeito precisa se explicar, e não é com blá...blá...blá e com agressões físicas e intimidações verbais que iremos solucionar os problemas em nossa cidade.
Como se não bastassem os ares de arrogância, prepotência e ostentação - marcas desta administração, agora comprova o seu despreparo no trato para com a causa pública em nossa cidade.
A maioria quando votou – acredito - escolheu alguém para ajudar no estabelecimento de metas, para melhorar as condições de vida da comunidade. Não precisamos de alguém que tenta usar a chibata ou cada dia aparecer com um novo “brinquedo” na cidade, para justificar seus ganhos.
Precisamos sim de um prefeito de verdade. Que saiba ouvir e respeitar as pessoas e o dinheiro público, e que contribua de maneira ordeira e democrática no encontro das soluções – que não são muitas – e necessidades do nosso pequeno rincão chamado Antonina.
Aqui, por enquanto não nasce mais ninguém.
Antoninense espécie em extinção.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Politica do eu sozinho. OH! Vale a pena ler de novo?

















Publicado no blog em 19/09/2010 e no livro “Tenho Dito” 2012.

POLÍTICA DO EU SOZINHO


Em um mundo globalizado e capitalista, a figura do eu sozinho está cada vez mais em extinção. A sociedade contemporânea é organizada e a maioria das pessoas tem consciência da necessidade de se agrupar para discutir, reivindicar e defender seus interesses perante o sistema político e
econômico. Os trabalhadores se organizam em associações, sindicatos, centrais, enquanto o empresariado associa-se ao seu segmento, às federações... etc.
Na política nos organizamos através dos partidos, mas é preciso que nas cidades as comunidades também estejam dispostas a se organizar, para então ter representatividade perante os poderes.
Aqui em Antonina, o exercício da política e da organização é muito latente. Ainda não aprendemos a exercitar o pensamento coletivo, organizar para fortalecer e facilitar os árduos caminhos do bem viver em uma sociedade democrática. Quando – de alguma maneira – nos propomos a criar um corpo de ideias, seja ele com a representação de uma associação ou de um outro denominador qualquer, grande parte das pessoas ignora por inteiro o quanto esta atitude poderá ser benéfica para toda a sociedade. Quem não se organiza e é contrário a tal atitude continua fazendo parte dos analfabetos políticos. Daqueles que acham que política não serve para nada e não imagina que sua omissão contribui para a falta de segurança, para a prostituição infantil, para a corrupção e para a falta de políticas públicas que possam melhorar a vida de cada cidadão.
Nos últimos trinta anos, sempre participei de alguma organização. Hoje, tendo o privilégio de desfrutar de uma aposentadoria, sou sindicalizado da APUFPR-Sind./Associação dos Professores da Universidade Federal do Paraná. Quando ainda na ativa, fiz parte do Conselho de Representantes. Neste longo caminhar, com a democratização do país (1982), ajudei a fundar a APAP-PR – Associação dos Profissionais de Artes Plásticas do Paraná e a APAEP-PR – Associação dos Arte-Educadores do Paraná.
Em Antonina, com valorosos e sonhadores microempresários, em 2007, fundamos a Aestur – Associação dos Empreendedores de Serviços Turísticos de Antonina. Mas, o que mais me entristece é ainda conviver com pessoas que subestimam o caráter organizacional e continuam insistindo que uma entidade classista não serve para nada.
Governantes competentes e bem intencionados procuram sempre interagir com este tipo de organização, fazendo parcerias, discutindo maneiras viáveis para minimizar os problemas da sociedade, atitude que não encontra respaldo em nossa cidade.
Diariamente ouvimos das pessoas, e principalmente de alguns empresários, que não precisam se associar a nada, pois sozinhos conseguem resolver seus problemas. Prática também exercida por nossos governantes, que se acham poderosos e milagreiros e se distanciam cada vez mais da comunidade, principalmente das poucas organizadas que ainda por aqui sobrevivem. A “gestão da masturbação” quer pública ou privada, continua dando prosseguimento ao estado de total falta de expectativas desenvolvimentistas para a nossa cidade e região. E tudo não deixa de acabar em porra. Porra mesmo!

 



quinta-feira, 18 de setembro de 2014

E o Parque da Laranjeira ?

Parque da Laranjeira

No último 05 de agosto, postei matéria referente a entrega do Relatório do GT da Laranjeira  para a Câmara Municipal de Antonina, que até aquele momento não tinha se manifestado.
Na semana passada estive na Câmara e recebi das mãos do presidente, vereador Marcio Balera, copia do ofício n 248/2014 de 02 de julho, enviado ao senhor prefeito municipal, senhor João Ubirajara Lopes, cópia dos estudos visando à criação do Parque Municipal Natural da Laranjeira, em área hoje abandonada a qual foi afetada pelas chuvas de 11 de março de 2011 no referido bairro. O local foi um dos escolhidos pelo IPHAN, dentro do PAC das Cidades Históricas que deverá ser recuperado, cujo projeto já esta sendo elaborado.
A proposta inicial do GT é se criar uma Unidade de Conservação, dentro do limite apresentado, mas, o legislativo entende que a referida área seja declarada de utilidade pública para fins de desapropriação, através de decreto do Poder Executivo.
O documento foi entregue e protocolado na prefeitura no dia 14 de julho, recebido pelo funcionário Rosil do Pilar do Rosário.

Esperamos a acolhida da nossa proposta pelo prefeito João Domero, que anterior a sua posse, já havia tomado ciência da existência do grupo de estudos, elaborado sem ônus para o erário público.
Faz-se necessária à declaração de utilidade pública da referida área, para que os recursos do Iphan sejam aplicados e tenhamos a área protegida e recuperada.
Vamos aguardar!

Grupo de Trabalho da Laranjeira

copia oficio

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Prefeito João Domero e Secretário Municipal de Saúde José Luiz, tem 72 horas para quitar divida e garantir serviços do Samu

O prefeito João Domero e seu secretário de saúde tem 72 horas para regularizar o pagamento de parcelas em atraso junto ao Consórcio Intermunicipal de Saúde do Litoral do Paraná (CISLIPA) e, assim, garantir que os cidadãos da cidade possam voltar a contar com os serviços do Samu 192. As atividades do Samu foram suspensas em Antonina e podem ser excluídas do mencionado consórcio, sem que haja qualquer plano secundário de atendimento emergencial de saúde à população, porque o Município não efetuou os repasses referentes a 2013 e 2014. Caso não efetuem o pagamento dentro do prazo, a multa pessoal ao prefeito e ao secretário é de R$500,00 por dia de atraso.

A decisão judicial, de caráter liminar, atende à ação civil pública de obrigação de fazer, ajuizada nesta quarta-feira, 10 de setembro, pela 1ª Promotoria de Justiça de Antonina. A Promotoria ajuizou, também, na mesma data, ação civil pública de responsabilização por atos de improbidade administrativa contra o prefeito João Domero e o secretário José Luiz Velloso, que ainda aguarda decisão judicial.



terça-feira, 9 de setembro de 2014

Em tempo de eleições

Faltam poucos dias para as eleições e nossa cidade e região continuam na expectativa de novamente não eleger nenhum representante. Nossos políticos – como de praxe – com seus olhares intimistas, negociam os seus redutos e apóiam candidatos pára-quedistas em troca de alguma benesse pessoal.
“Nosso” prefeito, que sempre afirmou total falta de compromisso político, loteou a administração e cada secretário teve a “liberdade” de trabalhar para o candidato de “seu” gosto e conveniência.
Mas será que alguém em sã consciência votaria nos candidatos indicados pelo atual prefeito? Esta é a pergunta que estamos fazendo na enquête ao lado...Responda se quiser.

Você votaria nos candidatos indicados pelo prefeito João Domero?
Vote na enquete ao lado direito da coluna

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Caso da Saúde da Gestão João Domero, está no MP.

O presidente da Câmara Municipal de Antonina, vereador Marcio Balera, ontem, 26 de agosto, protocolou denúncia junto a 1.ª Promotoria Pública da Comarca de Antonina o expediente em anexo (Ofício 309/2014) narrando toda a situação que envolve o Atendimento de Emergência do SAMU na cidade, na atual gestão João Domero. “As coisas não podem mais ser tratadas da maneira como estão sendo em nossa cidade, principalmente na área de saúde. Fizemos a reunião na segunda-feira passada onde foi dito que havia o dinheiro para o pagamento. Na terça-feira foi aprovada a inclusão da verba no orçamento em regime de votação única. Na quarta-feira a lei estava nas mãos do prefeito e hoje somos todos surpreendidos com isso: MAIS QUINZE DIAS DE SUSPENSÃO! Não posso compactuar com isso. Não se trata de situação ou oposição e sim de responsabilidade com a coisa pública!”  afirma o vereador.

Tentando entender
Por falta de pagamento por parte da prefeitura, leia-se Gestão João Domero, ao Consórcio CISLIPA, responsável pela prestação dos serviços do SAMU na região – ambulância e socorrista (serviço móvel de urgência), o sistema de atendimento municipal do SUS não conta mais com os tais serviços, suspensos por mais de um mês. A alegação inicial foi a falta de previsão orçamentária, cuja complementação foi votada em medida de urgência, na semana passada, pelos vereadores. Mas até o momento, o valor acordado entre as partes de R$99.900,00 não foi quitado, em razão de dificuldades financeiras, justificadas pelo Secretário da Saúde, senhor José Luis Velloso (of.128/208).
O prazo para a quitação desta parcela – pois já se está pagando o parcelamento de dívidas referentes a 2013 -  se esgotou ontem, e o Consórcio concordou aguardar por mais 15 dias o pagamento da parcela prometida, mantendo a suspensão dos serviços.
Ou seja, por mais quinze dias não podemos contar com os serviços de Atendimento Móvel de Urgência do SAMU.

MP
Agora o caso está nas mãos do Ministério Publico, que deverá se manifestar e dar prazo para o imediato retorno aos serviços de atendimento, enquanto os perdidos da atual gestão municipal, não sabem o que e como fazer. Quem paga e sofre é a população, pois ha muito tempo não conta com um hospital, médicos e equipamentos básicos necessários para um bom atendimento, agora fica também sem os serviços dos socorristas e ambulâncias, que ao menos garantiam o acesso a outros centros médicos, mais equipados.
Socorro!

cópia of.309/2014 enviado ao MP.